Pesquisa personalizada

O principal objetivo desse blog é oferecer dicas, notícias e informações sobre temas relacionados a sua saúde e bem-estar.

CULTIVE SUA SAÚDE ESPIRITUAL:

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

A Felicidade é Contagiante!!!

A felicidade é contagiante e se propaga "por ondas" dentro de círculos de amigos ou de membros de uma família, mas não entre colegas de trabalho, revela um estudo que será publicado nesta sexta-feira pelo British Medical Journal (BJM).



Os autores do estudo estabeleceram que grupos de pessoas felizes e infelizes se constituem segundo critérios de proximidade social e geográfica. Por exemplo, a probabilidade de que uma pessoa seja feliz aumenta 42% se um amigo que mora a menos de 800 metros dele é feliz. Este número cai para 25% se o amigo mora a menos de 1,5 km, e continua declinando a medida que aumenta a distância.
As chances de felicidade aumentam em 8% em caso de convivência com um parceiro feliz, em 14% se um parente próximo feliz mora na vizinhança, e até em 34% em caso de vizinhos felizes.
"As variações no nível de felicidade de um indivíduo podem se propagar por ondas dentro de grupos sociais e fomentar uma ampla estrutura dentro de uma rede, criando assim grupos de pessoas felizes ou infelizes", consideraram os autores do estudo, os professores Nicholas Christakis, da Harvard Medical School, e james Fowler, da universidade de San Diego.
Contudo, esta tendência não se verifica no trabalho. "Os colegas de trabalho não afetam o nível de felicidade, o que faz pensar que o contexto social pode limitar a propagação de estados emocionais", segundo o estudo.
"Este estudo revolucionário pode influenciar a saúde pública", avisou o BMJ em seu comunicado.
"Se a felicidade se transmite, de fato, através das relações sociais, isso pode contribbuir indiretamente à transmissão semelhante da boa saúde, o que tem sérias implicações para a elaboração das políticas", avaliou a publicação. O estudo foi realizado com 5.124 adultos de 21 a 70 anos, entre 1971 e 2003. (Fonte: Yahoo Notícias)

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Dia Mundial da Diabetes ilumina monumentos pelo mundo para alertar sobre a doença


Sedentarismos, obesidade e maus hábitos de consumo alimentar são as principais causas da doença em adultos; mas casos vêm crescendo entre jovens.
Uma campanha em 25 países pretende alertar a população sobre os perigos da diabetes nesta sexta, 14 de novembro, dia marcado para a conscientização sobre a doença. O propósito é também defender políticas públicas que favoreçam e possibilitem aos doentes viverem mais e melhor. Cerca de 300 monumentos em todo o globo serão iluminados com a cor azul, representando o símbolo da luta contra o mal. No Brasil, 106 locais vão receber a luz, entre eles o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, a Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis, e o Marco Zero, em Recife.As ocorrências da doença vêm crescendo no mundo todo, e, apesar de não ser transmissível, ela já é considerada uma epidemia pela Organização Mundial de Saúde (OMS).
Em 2000, 177 milhões de pessoas eram portadores de diabetes e a previsão é que este número chegue a 350 milhões em 2025. Segundo o Ministério da Saúde, a estimativa é o que o Brasil tenha 10 milhões de portadores até 2010 e a grande responsável pelo aumento da incidência da diabetes é a falta de hábitos saudáveis, como sedentarismo, dieta inadequada e obesidade.
A doença
A diabetes se caracteriza por um distúrbio no metabolismo do organismo chamado de hiperglicemia, ou seja, quando a taxa de glicose no sangue fica muito alta. Ela pode ocorrer quando há falta de insulina, hormônio que regula esta taxa, ou quando ela não atua de forma eficaz.A insulina é produzida pelo pâncreas e é essencial para que nosso corpo consiga absorver e utilizar a glicose (um tipo de açúcar, gerado ao final da digestão de alimentos doces ou com carboidratos), que é a principal fonte de energia do organismo.
A diabetes costuma gerar complicações, disfunções e insuficiência em vários órgãos, principalmente olhos, rins, nervos, coração e vasos sangüíneos. Ela pode atingir pessoas de todas as faixas etárias, sem distinção de sexo, raça e condições sócio-econômicas.Estudos mostram que a diabetes do tipo 2 (ver abaixo) pode ser prevenida facilmente, assim como suas complicações agudas e crônicas.
Tipos de diabetes
A doença apresenta duas formas básicas. A chamada de tipo 1 se caracteriza pela falta de produção de insulina pelo organismo. Por conta dessa deficiência o paciente vai precisar de doses diárias do hormônio pelo resto da vida para conseguir metabolizar o açúcar. Não se sabe ao certo por que as pessoas desenvolvem o diabetes tipo 1. Sabe-se que há casos em que algumas pessoas nascem com genes que as predispõem à doença, mas outras têm os mesmos genes e não têm diabetes. Outro dado é que, no geral, o diabetes tipo 1 é mais freqüente em pessoas com menos de 35 anos, mas ela pode pode surgir em qualquer idade. Já o tipo 2 é mais freqüente e em geral aparece após os 40 anos de idade. Ela é caracterizada pelo desenvolvimento de uma resistência à insulina. O corpo continua a produzir o hormônio, mas não o absorve e por isso passa a não conseguir metabolizar o açúcar. Esta reação costuma ser uma conseqüência da obesidade e do sedentarismo e é associada a pessoas com mais de 40 anos. Entretanto, pesquisas recentes mostram que o número de jovens que desenvolvem a doença devido a um estilo de vida pouco saudável está crescendo.
Sintomas
A diabetes do tipo 1 pode começar repentinamente e costuma incluir os seguintes sintomas:
- Sentir muita sede
- Perder peso rapidamente
- Sentir fome exagerada
- Ter cansaço inexplicado
- Sentir muita vontade de urinar
- Ter problemas de cicatrização
- Ficar com a visão embaçada
- Desenvolver falta de interesse e de concentração
- Ter vômitos e dores estomacais, freqüentemente diagnosticados como gripe
As mesmas reações costumam acontecer com pessoas que desenvolvem a diabetes do tipo 2, mas elas em geral são intensas. Crianças que têm este tipo da doença podem até nem apresentar sintomas.

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Escutar boa música é bom para o coração

Ouvir as músicas preferidas faz bem ao sistema cardiovascular, afirma um estudo americano divulgado nesta terça-feira.


Pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade de Maryland, que já tinham mostrado, em 2005, uma relação entre o riso e a performance cardíaca, encontraram agora benefícios para o coração no ato de ouvir música agradável.
"Já tínhamos demonstrado que emoções positivas, como o riso, são boas para a saúde vascular, mas a pergunta lógica era se outras emoções, provocadas, por exemplo, pela música, tinham o mesmo efeito", disse Michael Miller, diretor de Prevenção em Cardiologia do centro médico da Universidade de Maryland.
Miller fez com que uma dezena de estudantes escolhesse a música que "mais os deixava felizes" e os expôs a quatro tipos de som para comparar seu efeito sobre o sistema vascular: música apreciada pelo paciente, música estressante, áudio para relaxamento e canções engraçadas.
O diâmetro dos vasos sanguíneos foi ampliado em 26% com a música escolhida, enquanto a música estressante fez os vasos encolherem 6%.
"É impressionante a forte diferença antes e após se escutar uma música agradável, assim como entre uma música apreciada e uma estressante", disse Miller.
Com as músicas engraçadas, os vasos sanguíneos se dilataram 19%, enquanto a música de relaxamento produziu uma dilatação vascular de 11%.

terça-feira, 18 de março de 2008

Se não quiser adoecer...

SE NÃO QUISER ADOECER
(Dr. Dráuzio Varella )

Se não quiser adoecer - “Fale de seus sentimentos”.
Emoções e sentimentos que são escondidos, reprimidos, acabam em doenças como: gastrite, úlcera, dores lombares, dor na coluna. Com o tempo a repressão dos sentimentos degenera até em câncer. Então vamos desabafar, confidenciar, partilhar nossa intimidade, nossos segredos, nossos pecados. O diálogo, a fala, a palavra, é um poderoso remédio e excelente terapia.

Se não quiser adoecer - “Tome decisão”.
A pessoa indecisa permanece na dúvida, na ansiedade, na angústia. A indecisão acumula problemas, preocupações, agressões. A história humana é feita de decisões. Para decidir é preciso saber renunciar, saber perder vantagens e valores para ganhar outros. As pessoas indecisas são vítimas de doenças nervosas, gástricas e problemas de pele.

Se não quiser adoecer - “Busque soluções”.
Pessoas negativas não enxergam soluções e aumentam os problemas. Preferem a lamentação, a murmuração, o pessimismo. Melhor é acender o fósforo que lamentar a escuridão. Pequena é a abelha, mas produz o que de mais doce existe. Somos o que pensamos. O pensamento negativo gera energia negativa que se transforma em doença.

Se não quiser adoecer - “Não viva de aparências”.
Quem esconde a realidade finge, faz pose, quer sempre dar a impressão que está bem, quer mostrar-se perfeito, bonzinho, etc., está acumulando toneladas de peso… uma estátua de bronze, mas com pés de barro. Nada pior para a saúde que viver de aparências e fachadas. São pessoas com muito verniz e pouca raiz. Seu destino é a farmácia, o hospital, a dor.

Se não quiser adoecer - “Seja honesto”.
Este fato está muito co-relacionado com o anterior. Hoje o maior foco de ausência de saúde é nas empresas. Mas por quê? Porque vivemos um momento delicado de falsidade/desonestidade (marketing pessoal, intrigas, mentiras, armações, planos maquiavélicos para ‘puxar o tapete’). Nada mais doentio do que isso. Finge-se que tudo está bem. Nada pior para a saúde das duas faces da moeda, ou seja, para quem atinge e para quem é atingido, é essa busca desenfreada pelo materialismo. Estamos vivendo um novo momento, onde a busca é pelo equilíbrio espiritual. Nunca buscou-se tanto Deus, como se procura hoje. Busque a sua “Inteligência Espiritual”.

Se não quiser adoecer - “Aceite-se”.
A rejeição de si próprio, a ausência de auto-estima, faz com que sejamos algozes de nós mesmos. Os que não se aceitam são invejosos, ciumentos, imitadores, competitivos, destruidores. Aceitar-se, aceitar ser aceito, aceitar as críticas, é sabedoria, bom senso e terapia.

Se não quiser adoecer - “Confie”.
Quem não confia, não se comunica, não se abre, não se relaciona, não cria liames profundos, não sabe fazer amizades verdadeiras. Sem confiança, não há relacionamento. A desconfiança é falta de fé em si, nos outros e em Deus.

Se não quiser adoecer - “Não viva sempre triste”.
O bom humor, a risada, o lazer, a alegria, recuperam a saúde e trazem vida longa. A pessoa alegre tem o dom de alegrar o ambiente em que vive. “O bom humor nos salva das mãos do doutor”. Alegria é saúde e terapia.

Assista o Documentário "A Carne é Fraca" Aqui:


Pesquisa personalizada