Pesquisa personalizada

O principal objetivo desse blog é oferecer dicas, notícias e informações sobre temas relacionados a sua saúde e bem-estar.

CULTIVE SUA SAÚDE ESPIRITUAL:

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Linguiça, bacon e presunto são cancerígenos, diz OMS

Um novo relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que o consumo de carne processada - como bacon, salsichas e presunto - causa câncer.
Segundo o documento, 50 gramas de carne processada por dia, o equivalente a duas fatias de bacon, aumentam a chance de desenvolver câncer colorretal em 18%.
De forma mais branda, pela falta de provas mais contundentes, a organização também reforçou o alerta em relação à carne vermelha, dizendo que ela seria "provavelmente cancerígena".
De acordo a correspondente da BBC em Genebra, Imogene Foulkes, no caso da carne vermelha o "quadro não é tão claro".
"O estudo mostra provas limitadas de que comer carne bovina, carne de porco ou cordeiro pode causar câncer, mas outras explicações não podem ser descartadas", afirmou.
A correspondente da BBC afirmou ainda que a OMS destaca que o consumo baixo de carne traz benefícios à saúde, mas os consumidores precisam saber que também existem riscos e comer carne com moderação.
A carne vermelha é uma grande fonte de ferro, zinco e vitamina B12.

Aditivos

Carne processada é a carne que foi modificada para aumentar seu prazo de validade ou manipular o gosto. São as carnes defumadas, curadas ou que receber aditivos como sal ou conservantes.
São estes aditivos que podem aumentar o risco de desenvolver câncer.
A OMS chegou a essas conclusões após aconselhamento de sua Agência Internacional para Pesquisa do Câncer, que avalia os melhores dados científicos disponíveis.
Com isso, a carne processada passa a estar na mesma categoria que plutônio e bebidas alcoólicas, substâncias que comprovadamente causam câncer.
No entanto, isso não significa que consumir bacon, por exemplo, seja tão ruim quanto fumar.
"Para um indivíduo, o risco de desenvolver câncer colorretal (no intestino) por causa do consumo de carne processada continua pequeno, mas este risco aumenta com a quantidade de carne consumida", disse Kurt Straif, da OMS.
Para o professor da Universidade de Oxford Tim Key, que também é membro da organização beneficente britânica voltada para pesquisa do câncer Cancer Research UK, é uma questão de moderação.
"Esta decisão não significa que você precisa parar de comer qualquer tipo de carne vermelha ou processada, mas se você come muito, há boas razões para pensar em diminuir. Comer bacon de vez em quando não vai causar muito dano - uma dieta saudável é baseada na moderação", afirmou.

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Descubra os riscos que tomar uma ou duas latas de refrigerante por dia traz para sua saúde

Se você ainda não ouviu o suficiente sobre o assunto, pesquisadores de Harvard divulgaram um novo relatório apontando os riscos de consumir refrigerante diariamente. 
(Foto: Getty Images)
De acordo com o artigo publicado no Journal of American College of Cardiology, consumir bebidas muito açucaradas, como aquelas adoçadas com xarope de milho ou sacarose, pode levar ao aumento do risco de obesidade, diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares. Na verdade, os especialistas envolvidos no estudo descobriram que apenas uma ou duas latinhas destes produtos por dia aumentam os riscos de: 
  • Ataques cardíacos ou doenças cardíacas fatais em 35 por cento
  • Desenvolver diabetes tipo 2 em 26 por cento 
  • Enfarto em 16 por cento 
“Isso é particularmente preocupante, já que muitas pesquisas mostram que consumir uma ou duas bebidas adoçadas com açúcar por dia, aumenta o ganho de peso e a obesidade”, disse o pesquisador Frank Hu, MD, PhD, professor de nutrição e epidemiologia na Harvard T.H. Chan School of Public Health, em uma declaração formal. “O consumo regular de bebidas adoçadas com açúcar pode levar ao ganho de peso porque as calorias líquidas não fazem a pessoa se sentir satisfeita, então ela não reduz a ingestão de alimentos nas refeições seguintes”. 
Embora o consumo global das bebidas açucaradas tenha diminuído, elas continuam sendo a maior fonte de ingestão de açúcar nos Estados Unidos. Estima-se que 50% dos americanos tomam esses tipos de bebidas, todos os dias. Para 25% destes consumidores, isso traz um aumento de 200 calorias diárias. Em 5% dos casos, esta ingestão chega a aumentar em 500 calorias diárias. 
Os pesquisadores explicam que, ao contrário da glicose (outra forma de açúcar), que é absorvida na corrente sanguínea e pode ser usada como combustível, a frutose, o tipo de açúcar usado para adoçar a maioria dos refrigerantes, é metabolizada no fígado e convertida em compostos gordurosos. O resultado disso é uma maior chance de esteatose hepática e resistência à insulina, um fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e diabetes. 
“Estas conclusões não me surpreendem”, diz Keri Glassman, nutricionista e fundadora da Nutritious Life, ao Yahoo Health. “Já faz um tempo que sabemos que as calorias provenientes do açúcar, especialmente em sua forma líquida, são extremamente ruins para nós. Elas nos afetam a nível hormonal e aumentam significativamente o risco de doenças”. 
Glassman explica que a ausência de nutrientes nestes tipos de bebidas “faz com que você não se sinta nada saciado, levando-o a comer ainda mais”. Além disso, bebidas feitas com frutose, como aquelas que são adoçadas com xarope de milho, “são absorvidas rapidamente por nosso sistema e transformadas em gordura”. 
Para os amantes de refrigerantes, Glassman sugere a troca da Coca-Cola pela água com gás. “Adicione pedaços de fruta para adoçar a bebida”. Outra boa opção de bebida sugerida por ela, é o chá de ervas gelado sem açúcar. 
Os pesquisadores concluíram seu relatório com a seguinte declaração: “Por mais que apenas reduzir o consumo de bebidas adoçadas não resolva a epidemia de obesidade por si só, limitar a ingestão destes produtos é uma mudança simples, que terá um enorme impacto no controle de peso e prevenção de doenças cardio-metabólicas”. [Fonte: Yahoo]

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

7 coisas incríveis que acontecem com o seu corpo quando você abandona o refrigerante

A Coca-Cola identificou o culpado por trás do problema de peso nos Estados Unidos: as pessoas não se exercitam o suficiente.
(Foto: Fotoatelie / Shutterstock.com)

O maior produtor de refrigerantes do mundo está colocando rios de dinheiro em uma organização sem fins lucrativos chamada Global Energy Balance Network, um grupo de pesquisa com a missão de provar que as dietas têm pouco a ver com a crise de obesidade no país norte-americano.

O vice presidente do grupo, Steven N. Blair, PED, um pesquisador de exercícios,afirma que “não há nenhuma evidência convincente” de que ingerir comidas gordurosas e tomar bebidas ricas em açúcar cause ganho de peso. Em vez disso, o fato de 2 em cada 3 americanos estarem acima do peso ou serem obesos é apenas uma prova de que não estamos trabalhando duro o suficiente na academia, ele diz.

Se isso parece uma jogada desesperada para você, ela é: a quantidade de refrigerantes calóricos ingeridos pelo americano médio caiu 25% desde o final dos anos 90, de acordo com um relatório publicado mês passado no The New York Times. E embora a Coca-Cola não vá quebrar em um futuro próximo — ela é dona de tudo desde água Dasani até sucos Odwalla — reverter esta tendência de queda da marca principal é claramente uma prioridade. Mesmo que isso signifique apontar o dedo para os outros.

Mas não se engane. Abandonar o refrigerante pode ser a melhor coisa a fazer pelo seu peso e pela sua saúde. Os editores de Eat This, Not That! se aprofundaram nas pesquisas e descobriram estas 7 incríveis coisas que acontecem com as pessoas que largam o refrigerante. 

1) VOCÊ VAI SENTIR MENOS FOME
Apesar do que diz a Coca-Cola, seu produto principal, feito com xarope de milho de alta frutose, irá causar ganho de peso — uma lata tem o equivalente calórico de um pacote de jujubas, mas com 10 gramas a mais de açúcar! As versões diet também acumulam quilos — de uma forma mais passivo-agressiva. Elas fazem com que aumente a nossa vontade por doces. “Adoçantes artificiais afetam a nossa sensação de saciedade,” diz Isabel Smith, da Isabel Smith Nutrition. “Nossos corpos se desenvolveram ao longo do processo evolutivo para esperar um número maior de calorias quando ingerimos algo excessivamente doce, e os adoçantes artificiais são entre 400 e 8000 vezes mais doces que o açúcar.” Isso faz com que ocorram algumas coisas, diz Smith. “Os músculos no estômago relaxam para que você possa ingerir a comida, e hormônios são liberados. Com os adoçantes, seu corpo diz, ‘Espere um minuto, você me disse que ia me dar comidas com muitas calorias’. Isso pode fazer com que as pessoas busquem mais comida, por causa da falta de satisfação.”

2) VOCÊ VAI PARECER MAIS JOVEM
Os americanos gastam milhões de dólares em produtos anti-idade, multivitamínicos e personal trainers para se manter jovens. Se ao menos eles largassem as latinhas… Um estudo recente publicado no American Journal of Public Health descobriu que, conforme as células se dividem, os telômeros — amortecedores no final dos cromossomos que protegem os genes — se encurtam naturalmente, um processo relacionado ao envelhecimento e a doenças associadas à idade. Estas descobertas mostram que refrigerantes ricos em açúcar consumidos uma vez por dia — em uma porção de 350ml — estavam associados ao encurtamento dos telômeros, um precursor de condições crônicas como diabetes e doenças cardíacas. Na verdade, os refrigerantes ricos em açúcar aumentam o envelhecimento celular na mesma quantidade que o hábito de fumar!

3) VOCÊ VAI PERDER MAIS PESO
A Coca Zero não é uma heroína nutricional — ela está te impedindo de perder peso. “Embora as bebidas diet sejam livres de calorias, elas fazem com que a insulina seja liberada no organismo por causa dos adoçantes artificiais, que são doces como o açúcar, e isso atrapalha a perda de peso,” diz Miriam Jacobson. “A insulina é o hormônio principal do acúmulo de gordura, então ela faz com que o corpo se segure à gordura extra,” ela continua, acrescentando, “Tentar perder peso trocando a Coca normal pela Coca diet é fazer o mesmo mal ao corpo, ou até mais, por causa de todos os químicos presentes na versão sem calorias.” De fato, ao longo de uma década, pessoas que consomem duas ou mais porções de refrigerantes diet por dia experimentam aumentos no tamanho da cintura 4 vezes maiores do que aqueles que não os consomem.

Dica do Drink This, Not That!: Para queimar gordura naturalmente — e sem gastar muito — beba chá no lugar do refrigerante.

4) VOCÊ VAI FICAR DOENTE COM MENOS FREQUÊNCIA
A acidez do refrigerante é uma péssima notícia para o seu sistema digestivo, desgastando o esmalte dos dentes e piorando o refluxo gástrico. Mas as versões diet e light são especialmente traiçoeiras para o seu intestino — e todos os sistemas do organismo que ele afeta. “Pesquisadores descobriram que adoçantes artificiais podem afetar as bactérias saudáveis do intestino, que podem interferir em tudo, desde controlar os níveis de açúcar no sangue até a manutenção do peso e doenças — como o nosso sistema imunológico funciona e como o corpo responde a infecções,” diz Smith. Para cada 5% de calorias que você consome de adoçantes, seu risco de ter diabetes aumenta em 18%, e o colesterol ruim e o risco de doenças cardíacas aumentam após apenas duas semanas consumindo xaropes de milho, como o presente na Coca.

5) VOCÊ VAI REDUZIR GORDURAS ESCONDIDAS 
Sim, estamos falando de gorduras perigosas, difíceis de detectar a olho nu, ou seja, você pode não saber que está aumentando o risco de desenvolver alguns problemas de saúde porque não verá as mudanças no seu próprio corpo. Pesquisadores dinamarqueses conduziram um estudo sobre os efeitos dos refrigerantes normais pedindo que os participantes bebessem um refrigerante normal, leite contendo as mesmas calorias do refrigerante, refrigerante diet, ou água todos os dias por seis meses. A massa total de gordura se manteve a mesma em todos os grupos, mas os que ingeriram o refrigerante normal viram um aumento drástico nas perigosas gorduras escondidas, como no fígado ou entre os músculos. E nós queremos dizer drástico mesmo. Tomar refrigerante também pode levar a gorduras perigosas escondidas pelo corpo.

Dica do Drink This, Not That!: Reduza a ingestão de gorduras com uma batida de proteínas de fontes vegetais, como as encontradas no Zero Belly Diet.

6) VOCÊ VAI FAZER COM QUE SEUS OSSOS PAREM DE QUEBRAR
A coloração caramelada do refrigerante contém um tipo de fósforo criado artificialmente que pode ser ruim para a saúde dos ossos a longo prazo, diz Smith. O fósforo é um químico natural encontrado em alimentos como feijão e grãos, mas a variedade mutante encontrada no refrigerante é como um convidado para o jantar que se recusa a ir embora. “Basicamente, você está ingerindo algo que existe na natureza, mas transformado em uma forma hiper-absorvente,” diz Smith. “Seu corpo não tem escolha em relação a absorvê-lo ou excretá-lo, então isso pode fazer com que seus ossos percam cálcio. É particularmente ruim para alguém com doenças nos rins,” ela explica.

7) VOCÊ TERÁ MAIS ENERGIA
Ironicamente, a principal razão pela qual você está bebendo refrigerante pode ser o motivo pelo qual você está cansado e querendo mais. “Beber muita cafeína pode causar desidratação e estimular o sistema nervoso em excesso, tornando-o fatigado e exausto,” diz Smith. “Eu vejo que quando as pessoas reduzem a cafeína elas têm mais energia, porque a cafeína causa muitos altos e baixos. "Há muito mais energia para os nossos corpos em alimentos reais do que em comidas processadas,” ela diz, acrescentando, “Quando as pessoas reduzem a ingestão de alimentos industrializados, elas geralmente buscam mais alimentos frescos e fazem escolhas melhores. Ao abandonar o refrigerante, pode parecer que você está fazendo uma única mudança, mas isso pode alterar alguns aspectos da sua dieta para a melhor." [Fonte: Yahoo]

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

As 7 melhores combinações de alimentos para perder peso

Mês passado, um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition revelou que saladas seriam mais potentes sob o ponto de vista nutricional, se também houvesse ovos entre seus ingredientes. A razão: os ovos fazem com que o corpo consiga absorver mais facilmente os carotenóides, os pigmentos que dão cor aos vegetais — e ajudam a combater o ganho de peso. Aqui estão 7 outras combinações ideais, cada uma trazendo seus talentos nutricionais únicos, para lhe ajudar a se manter em forma, cumprimentos do novo livro de receitas Zero Belly Cookbook.
Combo para perda de peso #7
Atum + gengibre
Quer arrasar de biquíni na praia? A solução está no oceano — ou pelo menos no restaurante japonês próximo a ele. Combinar um sushi ou sashimi de atum com gengibre, pode ajudar a sua barriga a parecer menor, imediatamente. O gengibre acelera o esvaziamento gástrico, que ajuda a diminuir o visual inchado bem depressa. Ele também bloqueia diversos genes e enzimas que promovem inflamações causadoras do inchaço no organismo. O papel do atum também é crucial; é uma ótima fonte de ácido docosahexaenóico, um tipo de ômega 3 capaz de afastar as substâncias químicas do estresse, que promovem o armazenamento de gordura, além de reduzir a ação de alguns genes no estômago, impedindo que as células de gordura do abdômen cresçam.

Potencialize o combo: Coma o gengibre com seu sushi de arroz integral — mas dispense o shoyu. Uma única colher de sopa tem mais de 1000mg de sódio (mais que um Big Mac!), um dos maiores causadores da retenção de líquidos.
Combo para perda de peso #6
Espinafre + óleo de abacate
Se você está cansada da sua salada de sempre, feita com espinafre e azeite de oliva, mude um pouco e use o óleo de abacate. Feito a partir de abacates prensados, ele é rico em gorduras monoinsaturadas, excelentes para o coração, que podem ajudar a melhorar os níveis de colesterol e afastar a fome. Ele ainda contém vitaminas B e E e potássio, uma arma poderosa para acabar com o inchaço. Enquanto isso, o espinafre vai saciá-la de forma saudável, por ser rico em nutrientes, e pobre em calorias. Estudos mostram que mulheres que comem alimentos com alto teor de água, como folhas verdes, têm IMCs e cinturas menores do que aquelas que não os ingerem. Aposte nos alimentos verdes para ficar esbelta.
Potencialize o combo: salteie uma xícara de espinafre com uma colher de sopa de óleo de abacate para ter um acompanhamento rápido, fácil e nutritivo. O óleo de abacate também combina com pães integrais, peixes e pizzas caseiras.

Combo para perda de peso #5
Milho + feijão
Comer feijão pode até não parecer a melhor maneira de perder peso ou de reduzir o inchaço, mas dê uma chance a ele. Uma dieta com um número restrito de calorias, que inclua quatro porções semanais de leguminosas ricas em proteína e fibras, comprovadamente ajuda a perder mais peso do que uma dieta que não inclua feijão, de acordo com pesquisadores espanhóis. E combinar o feijão com milho pode potencializar o efeito emagrecedor. Milho — assim como as bananas e o macarrão frio — contém amido resistente, um carboidrato que evita a digestão. Assim, o corpo não é capaz de absorver grande parte das calorias e da glicose, um nutriente que é estocado como gordura, se não for queimado.
Potencialize o combo: faça um acompanhamento rápido e fácil de milho e feijão. Junte latas de milho e feijão (sem sal e sem BPA) em uma frigideira, em fogo médio. Tempere com pimenta do reino e coentro. Adicione vegetais à mistura, para fazer uma salada emagrecedora, use como molho para um frango grelhado, ou coma com um pão pita integral para um almoço rápido e prático.

Combo para perda de peso #4
Melão + uvas vermelhas
Combata a gordura e acabe com o inchaço com uma salada de frutas feita de melão e uvas vermelhas. O melão é um diurético natural que ajuda a combater a retenção de líquidos, responsável por lhe fazer sentir-se inchada mesmo quando tem um abdômen tonificado. As uvas vermelhas atuam como aliadas extras, já que contêm um antioxidante chamado antocianina, que ajuda a acalmar a ação de genes que estocam gorduras. Essa dupla dinâmica é uma sobremesa saudável e deliciosa, perfeita para o verão.
Potencialize o combo: coloque os dois em uma salada de frutas — e adicione alguma outra fruta vermelha. Elas possuem uma grande quantidade de fitonutrientes — compostos poderosos que derretem a gordura abdominal — segundo pesquisas do novo livro Zero Belly Diet.

Combo para perda de peso #3
Pimenta caiena + frango
Que tal jantar frango hoje? Alimentos ricos em proteínas, como o frango, não apenas promovem a saciedade, mas também ajudam a comer menos nas próximas refeições, de acordo com estudos. Adicionar pimenta caiena, potencializa a queima de gordura. Um composto presente na pimenta, chamado capsaicina, inibe o apetite e aumenta a capacidade do corpo de converter os alimentos em energia. O consumo diário de capsaicina acelera a perda de gordura abdominal, segundo um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition.
Potencialize o combo: apenas 1 grama de pimenta vermelha (cerca de ½ colher de chá) pode ajudar a controlar o apetite e aumentar a queima de calorias após a refeição, de acordo com um estudo feito por pesquisadores da Universidade de Purdue, nos Estados Unidos. Então vá além do frango e tempere peixes grelhados, carnes e ovos com uma pitada de pimenta!

Combo para perda de peso #2
Batatas + pimenta
Graças à adoração recente pelas dietas sem carboidratos, as batatas foram adicionadas à lista negra dos alimentos. No entanto, um olhar mais detalhado revelou que elas podem ajudar na perda de peso. Pesquisadores australianos descobriram que as batatas saciam mais do que alimentos ricos em fibras como o arroz integral e a aveia — e são uma ótima fonte de potássio, que combate o inchaço, então você vai parecer mais esbelta, quase imediatamente. Lembre-se de esquecer a manteiga e substituí-la pela pimenta. A piperina, composto poderoso que dá gosto à pimenta do reino, pode interferir na formação de novas células gordurosas — uma reação conhecida como adipogênese — o que pode ajudar a diminuir a cintura, eliminar gordura e reduzir os níveis de colesterol.
Potencialize o combo: experimente comer meia batata assada com um pouco de azeite de oliva e pimenta fresca — e não apenas como um acompanhamento. Este prato também é uma opção para o lanche!

Combo para perda de peso #1
Café + canela
Da próxima vez que for ao Starbucks, acabe com a gordura e afaste a fome ao adicionar canela ao seu café. A canela é saborosa, praticamente não contém calorias e possui antioxidantes poderosos que comprovadamente reduzem o acúmulo de gordura abdominal. Combine-a com um copo de cafeína, que ajuda a inibir o apetite, e você estará perdendo peso desde as primeiras horas da manhã.
Potencialize o combo: se estiver fazendo café em casa, adicione a canela aos grãos de café para um gosto ainda melhor, e os mesmos benefícios para a perda de peso. [Fonte: Yahoo]

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Cinco dicas para reduzir o açúcar que consumimos sem perceber

Segundo a OMS, o ideal é que o açúcar componha apenas 5% da dieta - e isso inclui aquele presente em alimentos que nem imaginamos.



Pense em um quilo de açúcar. Sim, um desses pacotes que compramos no supermercado e com o qual podemos encher o açucareiro várias vezes.
Parece muito, não? Mas é a mesma quantidade que um adulto consome, em média, em duas semanas. E os adolescentes ingerem um pouco mais.
Muitos se surpreenderão de que seja tanto. Sabemos em quais alimentos é óbvio que haja açúcar, como chocolates e biscoitos. Mas também há grandes quantidades "escondidas" em outras comidas que não necessariamente são consideradas doces.
A BBC preparou algumas dicas para que você diminua a quantidade de açúcar que consome no seu dia a dia, para assim ter uma vida mais saudável.
1. Qual deve ser o limite diário?
Em março de 2015, a Organização Mundial de Saúde (OMS) reduziu sua recomendação de consumo diário de açúcar para uma dieta saudável a 5% do total de calorias ingeridas. O limite máximo é de 10%.

Essa recomendação é um desafio, considerando os hábitos alimentares de hoje em dia. Nos países ocidentais, o açúcar pode representar até 15% da ingestão diária de fontes de energia.
No entanto, alguns nutricionistas vão além e recomendam o consumo de menos de 3% na dieta.
Esses limites são para todos os tipos de açúcar contidos nos alimentos, tanto os naturais – os existentes no mel, leite e sucos de fruta, por exemplo – como o açúcar cristal e o refinado, porque o corpo não distingue a diferença entre suas versões naturais e processadas.
Na prática, todos os tipos de açúcar são transformados em glicose e frutose e acabam processados pelo fígado.
Açúcar Bem Estar Interatividade (Foto: Scx.hu)Ideal é que adulto consuma no máximo 12 colheres de chá de açúcar por dia (Foto: Scx.hu)
2. Quanto é isso em colheres de chá?
Esta é a recomendação da OMS para uma pessoa adulta que consuma aproximadamente 2 mil calorias por dia:

O limite máximo de 10% corresponde a 50 gramas de açúcar por dia, o que corresponde a mais ou menos 12 colheres de chá.
Para seguir o limite considerado ideal, de 5%, é preciso cortar os números acima pela metade.
3. Quanto açúcar há numa lata de refrigerante?
Só uma lata do tamanho convencional, de 330 ml, contém, em açúcares, o equivalente a nove colheres de chá, ou seja, mais que a quantidade ideal recomendada pela OMS.

São 36 gramas em uma lata de refrigerante de cola. A versão light, por sua vez, tem zero açúcar.
4. Quanto de açúcar há 'escondido' em alimentos não considerados doces?
As bebidas que mais contém açúcar são (da maior quantidade para a menor): milkshakes, refrigerantes, água com sabor de frutas, energéticos e sucos de fruta artificiais. Essas bebidas não nos deixam tão satisfeitos como comidas sólidas que não são doces, mas têm o mesmo número de calorias.


Refrigerante (Foto: Mario Tama/Getty Images North America/AFP)Refrigerante é uma das bebidas que mais contêm açúcar (Foto: Mario Tama/Getty Images North America/AFP)
Um suco de laranja de 150 mil contém 12,9 gramas de açúcar, equivalente a 3 colheres (de chá) de açúcar.
A recomendação para as crianças é a de consumir água ou leite (sem açúcar) em vez de refrescos e sucos de fruta com adição de açúcar.
O álcool também é um problema: segundo dados de uma pesquisa feita no Reino Unido entre 2008 e 2012, 10% do total de açúcar consumido pelos adultos vêm de bebidas alcoólicas.
Em segundo lugar vêm os molhos: molho barbecue, ketchup ou molho agridoce... todos têm açúcar. Algumas colheres de molho podem contar a mesma quantidade de açúcar que um donut.
Por sua vez, um iogurte de fruta de 125 gramas contém 15,9 gramas de açúcar. A mesma quantidade de iogurte natural tem 11,6 gramas, segundo a Public Health England.
E alguns produtos "light" ou "diet" também não são necessariamente são seguros, porque, para potencializar o sabor, os fabricantes compensa o baixo teor de gordura acrescentando mais açúcar.
5. Como calcular o quanto de açúcar há em algum produto?
Essa pode ser uma tarefa confusa porque, nos rótulos, o açúcar pode aparecer sob diferentes nomes.

Mas quase todos eles terminam em "ose": glicose, frutose, sacarose, lactose, maltose, xarope de milho, que contém frutose concentrada.
Entretanto, um bom jeito de calcular o açúcar presente é se concentrar no item "Carboidratos (dos quais açúcares)".
Em geral, se há mais de 15 gramas de açúcar por 100 gramas, é considerado um produto com alto teor de açúcar.
Se for 5 gramas por cada 100 gramas, é um produto com baixo teor de açúcar.[Fonte: G1]

terça-feira, 7 de julho de 2015

Refrigerantes matam 184,4 mil pessoas por ano no mundo



Cuidado, refrigerante pode te matar. Pelo menos é o que indica um levantamento realizado na Tufts University, dos EUA, que mostra que 184,4 mil pessoas morrem por ano por conta do consumo de refrigerantes, energéticos, chás gelada e bebidas a base de frutas. Os dados são provenientes de pesquisa realizada entre 1980 e 2010 em 51 países.

“Este é um fato muito preocupante. Se os jovens continuarem consumindo essas bebidas no mesmo nível em que as ingerem agora, isso levará a taxas muito mais altas das que registramos hoje de mortes e de pessoas que se tornam incapazes por conta de enfermidades cardíacas ou da diabetes”, afirmou, em entrevista à revista ISTOÉ, a pesquisadora Gitanjali Singh, responsável pelo estudo.

 A maior parte das mortes — 75% delas, no caso — acontece em países pobres e em desenvolvimento. A maior parte das mortes ocorre por conta de diabetes e, segundo indica o relatório, 133 mil mortes em diabéticos são causadas por consumo dessas bebidas. Ainda existem 45 mil óbitos por conta de doenças cardiovasculares e outros 6,4 mil por conta de câncer. Tudo ligado às bebidas açucaradas.[Fonte: Yahoo]

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Beber mais de quatro cafés por dia pode ser nocivo para a saúde



Acima do recomendado, o consumo passa a ser considerado um risco, em particular em termos de problemas cardiovasculares. Foto: Internet

O consumo de mais de 400 miligramas de cafeína por dia, o equivalente a quatro cafés expressos ou uma mistura de cafés, refrigerantes e energéticos, pode ser nocivo para a saúde, em especial para as mulheres grávidas e os menores de 18 anos.

O alerta foi divulgado pela Autoridade Europeia de Segurança Alimentar (EFSA).

Em consequência, a EFSA recomenda, pela primeira vez na União Europeia (UE), o estabelecimento de um limite para a dose diária de ingestão de cafeína, de todas as fontes de alimentos. 

Acima do recomendado, o consumo passa a ser considerado um risco, em particular em termos de problemas cardiovasculares.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Sintomas da Dengue

Confira os sintomas da Dengue
O tempo médio do ciclo é de 5 a 6 dias, e o intervalo entre a picada e a manifestação da doença chama-se período de incubação. É só depois desse período que os sintomas aparecem. Geralmente os sintomas se manifestam a partir do 3° dia depois da picada do mosquitos.

Dengue Clássica
Mais Febre alta com início súbito.
Mais Forte dor de cabeça.
Mais Dor atrás dos olhos, que piora com o movimento dos mesmos.
Mais Perda do paladar e apetite.
Mais Manchas e erupções na pele semelhantes ao sarampo, principalmente no tórax e membros superiores.
Mais Náuseas e vômitos·
Mais Tonturas.
Mais Extremo cansaço.
Mais Moleza e dor no corpo.
Mais Muitas dores nos ossos e articulações.


Dengue hemorrágica
Os sintomas da dengue hemorrágica são os mesmos da dengue comum. A diferença ocorre quando acaba a febre e começam a surgir os sinais de alerta:
Mais Dores abdominais fortes e contínuas.
Mais Vômitos persistentes.
Mais Pele pálida, fria e úmida.
Mais Sangramento pelo nariz, boca e gengivas.
Mais Manchas vermelhas na pele.
Mais Sonolência, agitação e confusão mental.
Mais Sede excessiva e boca seca.
Mais Pulso rápido e fraco.
Mais Dificuldade respiratória.
Mais Perda de consciência.


Na dengue hemorrágica, o quadro clínico se agrava rapidamente, apresentando sinais de insuficiência circulatória e choque, podendo levar a pessoa à morte em até 24 horas. De acordo com estatísticas do Ministério da Saúde, cerca de 5% das pessoas com dengue hemorrágica morrem.
O doente pode apresentar sintomas como febre, dor de cabeça, dores pelo corpo, náuseas ou até mesmo não apresentar qualquer sintoma. O aparecimento de manchas vermelhas na pele, sangramentos (nariz, gengivas), dor abdominal intensa e contínua e vômitos persistentes podem indicar a evolução para dengue hemorrágica. Esse é um quadro grave que necessita de imediata atenção médica, pois pode ser fatal.

É importante procurar orientação médica ao surgirem os primeiros sintomas, pois as manifestações iniciais podem ser confundidas com outras doenças, como febre amarela, malária ou leptospirose e não servem para indicar o grau de gravidade da doença.[Fonte: Dengue.Org.Br]


Alimentação, não exercício, é 'chave para combater obesidade

A atividade física tem um papel relativamente pequeno no controle do peso e a atenção de políticas públicas contra a obesidade deveria estar na qualidade da alimentação – é o que defende um artigo assinado por médicos em uma publicação científica britânica.
"A atividade física regular reduz o risco de desenvolver doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2, demência e algumas formas de câncer em até 30%", escrevem pesquisadores no British Journal of Sports Medicine.
Eles dizem querer desfazer o que chamam de "mitos" sobre exercício e obesidade. "A atividade física não promove a perda de peso", argumentam.
O texto, assinado por três especialistas da Grã-Bretanha, Estados Unidos e África do Sul, põe a culpa do problema da obesidade no alto consumo de açúcar e carboidratos nas dietas modernas.
E ataca a indústria alimentícia por incentivar a percepção equivocada de que o exercício possa compensar os efeitos negativos da má alimentação.
"A Coca-Cola, que gastou US$ 3,3 bilhões em publicidade em 2013, empurra a mensagem de que 'toda caloria vale'; eles associam seus produtos com o esporte, sugerindo que é tudo bem consumir suas bebidas desde que você se exercite", escrevem.
"A ciência nos diz que isto é enganoso e equivocado. O que é crucial é a origem das calorias. As calorias do açúcar promovem depósitos de gordura e fome. As calorias da gordura promovem saciedade."
Mau hábito
Os cientistas dizem que até 40% dos indivíduos com peso considerado normal enfrentarão anormalidades metabólicas associadas com a obesidadepor causa de hábitos alimentares inadequados.
Também observam que a obesidade representa "apenas a ponta do iceberg" dos efeitos adversos da má alimentação na sociedade.
"Segundo o relatório sobre o peso global das doenças da (publicação científica) Lancet, uma dieta pobre já gera mais doenças que a inatividade física, o álcool e o fumo juntos."
Para o cardiologista Aseem Malhotra, da Academy of Medical Royal Colleges, na Grã-Bretanha – um dos médicos que assinam o artigo – "uma pessoa obesa não precisa fazer nenhum exercício para perder peso, só precisa comer menos".
"Minha maior preocupação é que a mensagem que está sendo transmitida ao público sugere que você pode comer o quanto quiser, desde que se exercite."
"Isto não tem base científica. Você não pode compensar os efeitos de maus hábitos alimentares fazendo exercício."
'Pouco científico'
Mas para outros médicos, minimizar a importância do exercícios físico é arriscado.
Mark Baker, do Instituto Nacional de Saúde e Excelência do Tratamento, recomenda "uma dieta equilibrada em combinação com a atividade física". Para ele, seria uma "idiotice" abrir mão de uma coisa ou de outra.
A federação britânica de comidas e bebidas disse que "os benefícios da atividade física não são uma moda ou conspiração da indústria".
"Um estilo de vida saudável deve incluir tanto uma dieta equilibrada quanto exercício físico", disse uma porta-voz.
A indústria diz que se compromete com esse objetivo ao incluir informação nutricional nas embalagens e oferecer alimentos com menor teor de sal, açúcar e gordura.
"Esse artigo parece questionar a raiz de recomendações oficiais para o consumidor que se baseiam em fatos", atacou a porta-voz. "Isso cria confusão." [Fonte: Terra]

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Mais de 1,1 bilhão de jovens podem sofrer perdas de audição

Fone de ouvido com volume alto vai causar problemas de audição
Mais de 1,1 bilhão de jovens correm risco de sofrer perdas de audição devido a práticas inseguras e exposição a barulho excessivo, como usar fones de ouvido reiteradamente, segundo um informe da Organização Mundial da Saúde divulgada nesta sexta-feira.
O estudo alerta que atualmente já existem mais de 43 milhões de jovens entre 12 e 35 anos com deficiências auditivas. A população mundial nesta faixa de idade é de entre 2,5 e 3 bilhões.
Nos países de renda média e alta, quase 50% dos jovens de entre 12 e 35 anos escutam música em dispositivos eletrônicos em níveis inseguros.
Além disso, cerca de 40% destes jovens estão expostos a níveis excessivos de barulho em discotecas, bares e eventos esportivos.
Cientificamente, um nível inseguro de ruído é estar exposto a 85 decibéis durante mais de oito horas ou a 100 decibéis durante 15 minutos. Cem decibéis é o nível médio de uma discoteca.
Diante da situação, e para evitar maiores riscos e danos, a OMS sugere algumas ações fáceis e práticas: baixar o volume dos dispositivos e deixá-los a um máximo de 60% de sua capacidade; limitar o tempo de exposição ao barulho; e estar atento a sinais de perda de audição, como assobios no ouvido ou dificuldade para escutar após permanecer exposto ao barulho.
Outras orientações são utilizar os níveis de ruído recomendado pelos próprios aparelhos eletrônicos e ir regularmente ao otorrino.
Além disso, a OMS sugere que pais e professores eduquem os jovens sobre os riscos de barulho excessivo.
A organização propõe ainda que os fabricantes de dispositivos eletrônicos incluam na sua configuração a indicação de níveis seguros de ruído e informação sobre os riscos de ultrapassá-los.
A OMS recomenda ainda que centros de lazer e esporte diminuam o volume, ofereçam tampões aos clientes e espaços sem barulho.
Finalmente, a organização pede que os governos modifiquem a lei para limitar o ruído das atividades recreativas.[Fonte: UOL]

Assista o Documentário "A Carne é Fraca" Aqui:


Pesquisa personalizada